Nomeação do Sr Embaixador Hiroshi AZUMA, como representante Permanente do Japão junto da CPLP

A picture is displayed.

A picture is displayed.

A picture is displayed.

A picture is displayed.

No dia 25 de Novembro, o Embaixador do Japão em Portugal, Senhor Hiroshi Azuma, foi nomeado oficialmente Representante Permanente do Japão junto da Comunidade dos Países da Língua Portuguesa (CPLP) pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros do Japão, Senhor. Fumio Kishida. O Embaixador Hiroshi Azuma entregou a Carta do Ministro dos Negócios Estrangeiros do Japão relativa à nomeação do cargo de Representante Permanente do Japão junto da CPLP ao Senhor Embaixador Murade Murargy, Secretário-Executivo da CPLP, na respectiva sede, no dia 9 de Dezembro.

Em Maio de 2014, o Primeiro Ministro, Shinzo Abe, na sua visita a Portugal, manifestou a vontade de o Japão ser Observador Associado da CPLP, e em Julho desse ano, o Japão conseguiu o estatuto de Observador Associado da CPLP. Depois, em Setembro de 2015, o Grupo Parlamentar de Amizade Japão-CPLP foi criado no âmbito da Assembleia japonesa. O Japão tem vindo a promover um estreitamento das relações com a CPLP; neste contexto destaca-se a visita do Senhor Takeo Kawamura à sede da Organização em Julho de 2016.

Além do Japão, os países Observadores Associados da CPLP são a Geórgia, a Hungria, a República Checa, a República Eslovaca, a República da Maurícia, a República da Namíbia, o Uruguai, a República do Senegal e a República da Turquia. Criou-se a expectativa fundamentada em declarações da CPLP e dos Estados Membros que os países observadores associados venham a estreitar o relacionamento com a CPLP na área política, económica e cultural, promovendo também a difusão da Língua Portuguesa.

O Embaixador Azuma tem vindo a promover o estreitamento das relações entre o Japão e a CPLP e, agora, após a nomeação como Representante Permanente do Japão junto da CPLP, fica com a importante responsabilidade de desenvolver, todos esforços adicionais necessários para reforçar as relações entre o Japão e a CPLP.